top of page
Buscar

Como a educomunicação e o combate às fake news ajudam no cenário do desastre climático?

Por Thayssa Kruger, de Frederico Westphalen (RS)


Imagem: Captura de tela/reportagem da CNN


Tendo como base a educomunicação como processo de construção de base crítica sobre os acontecimentos que impactam na cidadania, o Programa de Extensão Mão na Mídia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus Frederico Westphalen, passou a integrar a rede universitária de jornalismo e extensão da Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ). Esta rede tem como objetivo informar a população geral sobre o desastre climático que ocorreu no RS a partir da última semana de abril, por meio da plataforma Agência Reune. De forma colaborativa, a ação se dedica à publicação de notícias produzidas por universitários, direcionados à coleta e atualização de dados sobre as consequências das intensas chuvas que atingiram o estado. 


O Mão na Mídia, junto ao projeto institucional "UFSM Solidária e Cidadã: esperança e reconstrução para o Rio Grande do Sul"  fará a produção de reportagens na comunidade local e regional sobre desastres, riscos e emergência climática. As matérias serão focadas em três cidades gaúchas, duas que constam entre as mais vulneráveis para eventos extremos (Iraí e Rodeio Bonito) e em Frederico Westphalen. Os materiais produzidos serão publicados em nível local, regional e nacional em sites e plataformas da UFSM, observatórios parceiros e na agência nacional de extensão em Jornalismo. 


No mesmo esforço institucional, somam-se outros três projetos da UFSM que buscam combater a desinformação climática. Um deles é o Observatório de Comunicação Pública, núcleo da UFSM/FW (OBCOMP/FW), liderado pela professora Janaina Gomes. O OBCOMP/FW reúne professores e pesquisadores que discutem e publicam textos sobre temas de interesse da comunicação pública, como eleições, comunicação governamental e desinformação. “A desinformação é um problema de comunicação pública, de interesse público”, afirma Gomes.


A ação conta também com dois grupos de pesquisa da UFSM – "Desinformação no Ecossistema Midiático: identificação, compreensão e estratégias de enfrentamento" e "Plataformização do som: um estudo sobre a produção, circulação e consumo de jornalismo sonoro" – que uniram-se ao OBCOMP e ao Mão na Mídia na produção de programetes que serão veiculados nos intervalos da programação de rádios comunitárias, comerciais e universitárias parceiras da Rede Nacional de Combate à Desinformação (RNCD). A fonte dos programas serão as checagens veiculadas na Plataforma Aletheia.


O grupo Mão na Mídia será responsável também por levar às escolas de educação básica da região, uma oficina sobre educação midiática e meio ambiente/clima. Considerado o tema muito urgente diante do cenário de destruição, bem como pela desinformação sobre a crise climática em curso. “A questão ambiental faz parte de nossas ações há vários anos, porque se trata de uma dimensão fundamental para que todos e todas tenhamos dignidade em direitos. Por exemplo, nesta tragédia vemos que os mais pobres são os que mais sofrem, por conta das desigualdades sociais”, complementa a coordenadora do Mão na Mídia, professora Cláudia Herte de Moraes.


Além disso, o Mão na Mídia está participando da Rede de Emergência Climática e Ambiental (RECA), que envolve a colaboração de professores e pesquisadores de universidades e instituições públicas do país, especialmente as gaúchas UFRGS, UFSM, UFPel e FURG, numa formação de sete grupos de trabalho (GTs). De acordo com Ilza Girardi, líder do Grupo de Pesquisa Jornalismo Ambiental (GPJA/CNPq) da UFRGS, “o programa está em fase de elaboração e será oferecido aos gestores públicos, que terão a oportunidade de utilizar as propostas completas ou parciais de todos os GTs”. Os temas abordados pelos GTs incluem Serviço de Infraestrutura, Serviço de Educação Climática, de Comunicação Climática, entre outros. Girardi relata que a ideia do programa é indicar ações para a preparação do estado para atuar nas emergências climáticas, realizando ações de prevenção e adaptação para diminuir o impacto dos desastres na população.


O Programa de Extensão Mão na Mídia: educomunicação e cidadania visa promover a educação midiática nas escolas da região e no campus universitário de Frederico Westphalen, além de iniciar discussões sobre preservação ambiental e direitos humanos. Para mais informações sobre suas atividades, siga as redes sociais oficiais: @mao.namidia no Instagram e Mão na Mídia UFSM no YouTube.



Orientação: Professora Cláudia H. de Moraes


Thayssa Kruger é acadêmica de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria, Frederico Westphalen /RS , bolsista de extensão FIEX (UFSM)

62 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page